12.12.2016

Pois é, não deu.

Pensamos que o pensar é certeiro, mas ele nos rodeia e nos deixa assim, de mãos e pés atados.
A gente obedece e se acostuma.
Refugiados dentro de si.
Tento desviar todos os pensamentos, seguir, mas voltando te encontro.
Busco em círculos.
Burrice circuita.


Após um ano, enfrento.

Engulo a cachaça quente, não consigo não imaginar você.
É natural.
Surreal seria fingir que é tudo tão normal como você tem mestrado em ser.
Eu assumo a falha.
Achei que serias mais homem do que já fui mulher.

Como ressaca, uma louca enxaqueca, você me persegue.
Como fosse dipirona, me esqueço na noite.
Mas não por mais que 8 horas.

Vou te ver amanhã.
Me arrumo de novo.

Enfrento.

O adeus que não ouvi, busco todos os dias.
Buscas perdidas por alguém que escolheu não voltar.

Lembro de Shakespeare - e eu detesto - que no Romance de Romeu e Julieta, todos esquecem de Rosalina, que era apaixonada e ex de Romeu.

Superestimada.

Mas, enfrento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

24/05 - coração cantou.